Beleza Pele

Como diminuir a celulite das pernas, glúteos e coxas?

Como diminuir a celulite das pernas, glúteos e coxas?

A celulite, também conhecida como lipodistrofia ginoide, é uma condição estética que afeta a aparência da pele, principalmente nas áreas das coxas, nádegas, abdômen e parte superior dos braços. É caracterizada pelo acúmulo de gordura, toxinas e fluidos que ficam presos nas camadas mais superficiais da pele, resultando em uma aparência de “casca de laranja” ou de irregularidades na pele, como saliências e depressões.

O que causa a celulite?

A celulite ocorre devido a uma combinação de fatores, incluindo:

  1. Acúmulo de gordura: O excesso de gordura corporal pode se acumular nas camadas superficiais da pele, exercendo pressão sobre as fibras de colágeno e tecido conjuntivo. Isso resulta na aparência de irregularidades na pele.
  2. Enfraquecimento do tecido conjuntivo: O tecido conjuntivo é responsável por manter a pele firme e suave. Quando esse tecido enfraquece, pode permitir que a gordura subjacente empurre para cima, criando as ondulações e saliências características da celulite.
  3. Má circulação sanguínea e linfática: A circulação inadequada do sangue e da linfa pode levar ao acúmulo de fluidos e toxinas nas células adiposas. Essa retenção de líquidos e toxinas pode agravar a aparência da celulite.
  4. Alterações hormonais: Alterações hormonais, como as que ocorrem durante a puberdade, gravidez ou menopausa, podem influenciar no desenvolvimento da celulite. O estrogênio, em particular, parece desempenhar um papel no enfraquecimento do tecido conjuntivo e na diminuição da circulação sanguínea.
  5. Fatores genéticos: A predisposição genética pode desempenhar um papel na formação da celulite. Se seus pais ou familiares próximos têm celulite, você pode ter maior probabilidade de desenvolvê-la também.
  6. Estilo de vida e fatores ambientais: Hábitos de vida pouco saudáveis, como dieta desequilibrada, sedentarismo, tabagismo e estresse, podem contribuir para a formação e agravamento da celulite. Além disso, fatores ambientais, como a exposição a poluentes e toxinas, podem afetar a saúde da pele e contribuir para a celulite.

É importante destacar que a celulite não está diretamente relacionada ao peso corporal. Pessoas magras também podem ter celulite, pois a condição está mais relacionada à estrutura da pele e aos fatores mencionados acima.

Tipos de celulite

Existem quatro tipos de celulite mencionados na literatura: celulite flácida, celulite edematosa, celulite gordurosa e celulite mista. Embora esses tipos tenham um processo fisiopatológico semelhante, que envolve o acúmulo de gordura que pressiona o septo fibroso, comprimindo o sistema linfático e a vascularização local, eles podem apresentar aparências externas diferentes.

  1. Celulite Flácida: Caracterizada por uma flacidez tissular mais pronunciada, que resulta em uma maior depressão no tecido. Apresenta um aspecto gelatinoso e é visível a olho nu. Geralmente não é dolorosa e é comumente encontrada nas regiões dos braços, coxas, glúteos e culote.
  2. Celulite Edematosa: Nesse tipo, o tecido apresenta um aspecto de inchaço ou esponjamento. É considerada o tipo mais difícil de eliminar. É visível e está relacionada a problemas de circulação, retenção de líquidos, varizes e edemas. Pode ser dolorosa ao toque e causar sensação de fadiga e cansaço nas pernas, local onde geralmente aparece.
  3. Celulite Gordurosa: Nessa forma de celulite, há um acúmulo significativo de gordura na região afetada, resultando em dobras cutâneas mais pronunciadas. A textura do tecido é mais densa e consistente, não se movendo facilmente com os movimentos. Pode ser dolorosa ao toque e, se não tratada, pode evoluir para outros tipos de celulite.
  4. Celulite Mista: Refere-se a um caso em que ocorre o envolvimento de mais de um dos tipos de celulite mencionados acima. Nesse caso, a pessoa pode apresentar características de diferentes tipos de celulite em diferentes regiões do corpo.
Tipos de celulite

Image by brgfx on Freepik

Graus de celulite

Além dos tipos de celulite, também existem os graus de celulite, eles ajudam a descrever a gravidade da condição, são eles:

  1. Grau 1: Nesse estágio, não há ondulações ou irregularidades visíveis na pele em repouso. No entanto, ao comprimir a pele, podem surgir pequenas ondulações e “furinhos” característicos da celulite.
  2. Grau 2: Nesse estágio, as ondulações e os “furinhos” já são perceptíveis mesmo sem comprimir a pele. A celulite se torna mais evidente quando a pessoa está em pé ou com a musculatura contraída.
  3. Grau 3: Nesse estágio, os nódulos de celulite se tornam claramente perceptíveis. A pele apresenta uma aparência irregular, com a presença de saliências e depressões.
  4. Grau 4: Esse estágio é caracterizado por vários nódulos de celulite, que conferem à pele um aspecto “duro”. Além disso, pode haver inchaço, comprometimento da circulação venosa e a pele apresenta um aspecto acolchoado.

Como prevenir o aparecimento da celulite?

A prevenção da celulite envolve a adoção de hábitos saudáveis que visam reduzir o acúmulo de gordura, melhorar a circulação e fortalecer o tecido conjuntivo. Aqui estão algumas medidas que podem ajudar na prevenção da celulite:

  1. Alimentação saudável: Consuma uma dieta equilibrada, rica em frutas, vegetais, fibras e proteínas magras. Evite o consumo excessivo de alimentos processados, gordurosos e ricos em açúcar.
  2. Hidratação adequada: Beba bastante água para manter a hidratação adequada e ajudar a eliminar toxinas do corpo.
  3. Atividade física regular: Pratique exercícios físicos regularmente para melhorar a circulação sanguínea, tonificar os músculos e reduzir o acúmulo de gordura. Atividades como caminhada, corrida, natação, dança e treinamento de força podem ser benéficas.
  4. Evite o sedentarismo: Evite passar longos períodos em uma mesma posição, pois isso pode afetar a circulação sanguínea. Faça pausas regulares se você passa muito tempo sentado ou em pé.
  5. Evite o tabagismo: O tabagismo compromete a circulação sanguínea e a saúde da pele, tornando-a mais propensa à celulite. Portanto, é recomendado evitar o cigarro.
  6. Gerenciamento do estresse: O estresse crônico pode levar a alterações hormonais que podem contribuir para o aparecimento da celulite. Encontre maneiras saudáveis de lidar com o estresse, como praticar técnicas de relaxamento, meditação ou atividades que você goste.
  7. Evite roupas apertadas: Roupas apertadas podem restringir a circulação sanguínea e linfática, o que pode contribuir para o desenvolvimento da celulite. Opte por roupas confortáveis e que não causem compressão excessiva nas áreas afetadas.
  8. Massagens e cuidados com a pele: Realizar massagens regulares nas áreas propensas à celulite pode ajudar a melhorar a circulação e reduzir a aparência da celulite. Além disso, hidratar e cuidar da pele pode ajudar a mantê-la saudável.

É importante lembrar que a celulite é influenciada por uma combinação de fatores genéticos, hormonais e estilo de vida. Embora essas medidas possam ajudar na prevenção, é possível que algumas pessoas ainda desenvolvam celulite mesmo adotando hábitos saudáveis.

Melhores tratamentos para celulite

Existem várias opções de tratamentos para celulite disponíveis, e a escolha do melhor tratamento pode depender das características individuais de cada pessoa e do grau de celulite presente. Aqui estão alguns dos tratamentos mais comumente considerados eficazes no combate à celulite:

  1. Drenagem linfática: A drenagem linfática é uma massagem suave que ajuda a melhorar a circulação e eliminar o excesso de líquidos e toxinas acumulados nos tecidos, contribuindo para reduzir a aparência da celulite.
  2. Massagem modeladora: A massagem modeladora utiliza movimentos mais firmes e rápidos para estimular a quebra de gordura e melhorar a circulação sanguínea, reduzindo a celulite. É importante ressaltar que a eficácia desse tratamento pode depender da presença de gordura localizada associada à celulite.
  3. Radiofrequência: A radiofrequência é um tratamento não invasivo que utiliza energia de radiofrequência para estimular a produção de colágeno, melhorar a elasticidade da pele e reduzir a aparência da celulite. É indicada para diferentes graus de celulite e também pode ajudar na redução da flacidez.
  4. Laser: O tratamento com laser pode ajudar a quebrar as células de gordura, suavizar a textura da pele e estimular a produção de colágeno, melhorando a aparência da celulite. Existem diferentes tipos de lasers utilizados para tratar a celulite, como o laser de diodo e o laser Nd:YAG.
  5. Endermologia: A endermologia é um tratamento que utiliza um aparelho motorizado com sucção e rolos para massagear a pele, estimulando a circulação sanguínea, a drenagem linfática e melhorando a aparência da celulite.
  6. Carboxiterapia: A carboxiterapia envolve a aplicação de dióxido de carbono (CO2) sob a pele, o que ajuda a melhorar a circulação sanguínea, aumentar a oxigenação dos tecidos e reduzir a celulite. No entanto, é importante ressaltar que a eficácia desse tratamento ainda é controversa e não conta com apoio médico unânime.

É importante lembrar que os resultados dos tratamentos podem variar de pessoa para pessoa, e é essencial consultar um profissional qualificado para obter uma avaliação personalizada e adequada às suas necessidades. Além disso, adotar um estilo de vida saudável, com alimentação equilibrada, prática regular de exercícios e hidratação adequada, também é fundamental para ajudar a reduzir a aparência da celulite.

Veja também: Aprenda a fazer o banho de lua passo a passo e deixe seus pelos clarinhos!

Deixe seu Comentário